sábado, 23 de julho de 2011

Planejando um projeto de estudo de campo, para um Sistema de Informações

INTRODUÇÃO

Me propus a desenvolver um estudo de um SISTEMA DE INFORMAÇÃO para Chão de Fábrica e estou compartilhando minhas experiências através destas publicações.
Para este projeto a expressão: “Sistema de informações”, diz respeito a toda a estrutura que envolve o conjunto de informações pertinentes a uma unidade de industrialização genérica, sendo que aqui o campo de testes uma será uma Industria de móveis para decoração, que está para o ramo moveleiro, como a alta costura está para o ramo da moda.
Vale ressaltar que no Brasil, este ramo tem sua produção baseada mais em profissionais altamente especializados, do que em equipamentos sofisticados, sendo que, esta fábrica especifica pretende agregar tecnologia da informação e equipamentos automatizados, aos seus profissionais especializados.


LEVANTAMENTO DOS RECURSOS DISPONÍVEIS

Este texto define como recurso, tudo aquilo que estiver disponível para uso no projeto, sejam recursos humanos, hardware, software, conexões de internet, materiais de consulta, consultoria oferecida por profissionais qualificados, patrocínios, etc.
Neste inicio de projeto não é tão simples se lembar de todos os recursos, portanto é bastante produtivo, montar um roteiro dos recursos mais importantes.


RECURSOS HUMANOS

Todas as pessoas envolvidas no projeto devem ser listadas, um bom critério é listar aqueles que se disponham a uma contribuição periódica, por exemplo: uma hora por semana, ou um dia por mês, ler e responder todos os e-mails, revisar a gramática de todos os textos, etc.


HARDWARE

Uma listagem de todo o hardware disponível, aqui também vale uma sequencia sistemática, desde o computador, passado pelos backups, etc
  1. Computadores;
  2. Dispositivos para backups;
  3. Impressoras;
  4. Projetores.

SOFTWARE

Aqui deve ser listado todo o Software disponível, lembrando de ter a decência de contar apenas com, softwares licenciados e ou Open Source.
  1. Sistema operacional;
  2. Suíte de aplicativos para escritório;
  3. Editor de XML para produção da documentação padrão;
  4. Ferramenta CASE para modelagem do sistema;
  5. Outras ferramentas disponíveis, sejam elas livres ou licenciadas.

CONEXÕES DE INTERNET

Todas as conexões, fixas ou móveis que possam ser usadas no projeto.


FONTES DE PESQUISA

Mais uma vez é bom lembrar que não vale utilizar materiais desautorizados, devemos utilizar: eBooks legais e material de origem comprovada, sejam livres ou licenciados, as informações devem ser comparadas com outras de diversas fontes.
  1. Livros dos mais diversos;
  2. Repositórios de trabalhos acadêmicos, diversos como o Srib ;
  3. Mecanismos de busca na internet, como o Google acadêmico e alguns portais de universidades, com conteúdo disponível;
  4. Colegas, mais experientes, que se colocam à disposição para consultas e sugestões.

LOCAIS PARA ESTUDO DE CAMPO

Quanto maior for o campo de estudos mais preciso será o resultado, porém, maior será o trabalho, isto deve ser balanceado.
  1. O setor da empresa onde se implantará o sistema;
  2. Alguma outra empresa que permita os estudos de campo;
  3. Órgãos como: SEBRAE, SENAI, e outros que se colocam à disposição para pesquisa de campo, em tópicos específicos.

POSSIBILIDADES DE PUBLICAÇÃO

Caso o projeto seja para publicação, aqui devem ser listados todas as possibilidades de publicação/divulgação do projeto.
O SourceForge é um portal, onde desenvolvedores podem publicar seus projetos, .


CONCLUSÃO

A Infraestrutura é suficiente para o trabalho?
A disponibilidade de tempo de trabalho atenderá às necessidades mínimas?


PLANO DE TRABALHO

A definição das diferentes etapas pelas quais este projeto passará, em função dos recursos disponíveis.
Um cronograma é uma ferramenta mais adequada, quando se fala em planejamento, mas os recursos disponíveis muitas vezes mostram tendencia a se alterarem ao longo do tempo, o que dificulta ou impede a sua elaboração.
Muitas das vezes a disponibilidade de recursos oferece segurança apenas para se planejar uma sequência de passos, sem data aproximada de conclusão, situação um tanto perigosa em projetos sob contrato.


ESTUDO DE CAMPO

Levantamento de dados para análise das condições reais de desenvolvimento e implantação do sistema, ao final deste estudo deverá ser possível, uma visualização clara do ambiente onde será inserido o sistema.


Objetos de estudo

Para este estudo é sempre bom ter o acompanhamento de um profissional, que entenda bem o capo de estudos.
O roteiro a seguir dá uma boa noção de quais informações obter, para o bom andamento do projeto.
  1. Funcionários e suas relações: entre si, com a administração e com as atividades exercidas no ambiente em que atua;
  2. Atividades possíveis de serem realizadas no ambiente, suas relações, as informações que elas necessitam, os dados que elas produzem;
  3. Equipamentos existentes e suas relações com as atividades;
  4. Materiais utilizados e suas relações;
  5. Um pseudo produto que englobe as atividades conhecidas, criado apenas para possibilitar um estudo das movimentações existentes no ambiente.

Metodologia

Existem muitos métodos já elaborados para estudo de campo, o roteiro abaixo é só mais uma dica.
  1. Levantamento de dados através de entrevistas;
  2. Levantamento de dados através de observações diretas, sugeridas pelas entrevistas;
  3. Confirmação das relações enumeradas nas entrevistas através da observação direta;
  4. Filtragem das informações repetidas;
  5. Diagramação das informações recolhidas;
  6. Aplicação das técnicas de simplificação e racionalização dos diagramas criados pelo ambiente existente, resultando em diagramas racionalizados;
  7. Confrontação dos diagramas racionalizados com a realidade do processo;
  8. Reformulação dos diagramas conforme o caso;
  9. Disponibilização das informações produzidas, para elaboração do projeto a ser proposto.

ELABORAÇÃO DO PROJETO

De posse dos dados resultantes dos estudos de campo é o momento de elaborar o projeto, em pelo menos três etapas:
  1. Definição de toda a sequência de elaboração do projeto e da fase posterior, que é a fase de desenvolvimento dos softwares envolvidos;
  2. Elaboração de todos os diagramas pertinentes aos diferentes aspectos do projeto;
  3. Documentação detalhada, de todos os itens do projeto.

DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE


Esta é a maior de todas as etapas do projeto, compreende todas as fases definidas na etapa de elaboração do projeto.
Esta etapa está normalmente a cargo da engenharia de software.



Produção do software
  1. Implementação do banco de dados;
  2. Aplicação dos testes de consistência do banco de dados;
  3. Produção dos protótipos das interfaces;
  4. Submissão das interfaces aos respectivos usuários (onde foi feito o estudo de campo);
  5. Remodelagem das interfaces, conforme demanda;
  6. Produção das interfaces definitivas;
  7. Aplicação dos testes em todo o sistema;
  8. Realização das correções necessárias;
  9. Elaboração do material para treinamento de usuários;
  10. Elaboração e negociação do plano de manutenção permanente.


Implantação

  1. Instalação do sistema definitivo;
  2. Treinamento dos funcionários;
  3. Alimentação do sistema com dados reais;
  4. Inicio do funcionamento, por período de testes;
  5. Realização das correções;
  6. Finalização da implantação do sistema;
  7. Inicio da fase de manutenção permanente.




Copyleft (C) 2011 Sincero Zeferino Filho (OhEremita)

Nenhum comentário: